sexta-feira, 30 de julho de 2010

Vi

Vi o feirante, trabalho constante
a dor distante, reparei e vi...
cercado de peso,
em seus apetrechos
reparados despejos
levantando saculejos
com dor e desejo, vi...
Olhava aos céus
pedia a D'us
clemência aqui...
orfão de Pai, chamava fantasmas do vazio
carregava consigo o sino
o rosto surrado
e tenebrosos olhos, vi...
enferrujado pelo sol
tentava à sombra se esquivar
tentava aos muros descansar
e chorar a dor do dia a dia
vi...
"Quem foi que te disse
que a vida é um mar de rosas"
cantava ele baixinho, acreditava chamar por um destino
cravado de ilusões
vi...
Já velho, gritava nele a criança
com dor ou esperança?
Tentava traçar seu futuro,
mas o que esperar dos governantes?
Então...vi...
ele chama ao "Pai"!

0 comentários :