domingo, 21 de novembro de 2010

O Som do Vento

Balança o barco
rema o remo
traça o traço
nele os olhos
refletem a alma,
a alma do mar...
desenhando o vento
escorrega a água
traçando o destino
sob o sol, menino
pequeno ante a imensidão
Vou pescar?
Acharei o fruto de que trabalho
ou me tornarei frangalho
voltado ao barco
farei o meu traço
desenhando desvaneios?
ao chover o som
ao secar o sol
vejo o dom
em
inspirados fluxos
trazem o vazio denso,
relento, impera o som do barco
fortes ventos
assopram sopro divino
Viaja a água
passando as passadas
e o braço inspira
e nele se cria o som...
o som do vento

2 comentários :