quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Conceito, preconceito e afins



Não há nenhuma lei que seja misteriosamente criada em algum lugar e possa ser aplicada por algum bom jurista que, de outro modo, não teria absolutamente de quebrar a cabeça acerca dela. Ao contrário, existe apenas a lei, que é feita pelos homens concretos -  de novo o problema do homem; e se os homens são corruptos e incapazes de lei e justiça, ou se eles professam algum tipo de ideologia sob justiça, então, é claro, não se tem nenhuma ordem legal


Qual o sentido de "igualdade"? Bom, o texto acima, citado pelo grande filósofo E. Vöegelin, trata sobre as diferenças entre alguns ramos do direito. Nele, as diferenças entre o Direito Positivista e o Direito Natural, ficam em discussão. 

Por que quis divagar essa breve análise? Queria falar sobre preconceito. O que define preconceito:


preconceito (1)
(pre- + conceito)

s. m.
1. Ideia ou conceito formado antecipadamente e sem fundamento sério ou imparcial.

2. Opinião desfavorável que não é baseada em dados objectivos.INTOLERÂNCIA

3. Estado de abusão, de cegueira moral.

4. Superstição.



Levando-se em conta a ideia, geramos os seguintes fatos:
Ideia ou conceito formado - "sem fundamento":  Ora, como chamam os que eu nomearia de "preconceitonistas" de plantão, ao se diz de preconceito? Um certo membro de igreja poderia dizer a um homossexual: "Não gosto de você". Sem fundamento, é burrice, não preconceito.  Haveria aí um embate entre desconhecimento das doutrinas - amor ao próximo -  e a forma com que o indivíduo lida com seu convício social. 


Há uma categorização, assim como todo grupo social, do que faz parte do seu convívio. Um grupo de normas, o que eu chamaria de "discurso social aceitável". Ou seja, através do convívio social, o grupo define um conjunto de normas por eles estabelecido, visando o bem comum. No caso citado, o frequentador de igreja ata-se aos ensinamentos doutrinários do seu grupo. Nesse ensino, há o conjunto de normas, ou o "discuso aceitável". Claro, analisando empiricamente, toda normal tem seus conceitos falhos. O ser humano, como indivíduo, analisa fatos de formas diferentes. Pode-se entregar uma bola a um grupo de 20 jovens: Entre eles, a forma de análise do objeto declarado pode ser vista de maneira únicas e, ao mesmo tempo, diferentes. A partir disso, temos então a origem do conceito:


Vamos definir o conceito:

conceito (con-cei-to)


Significado: Definição, concepção, idéia, opnião. Representãção de um objeto pelo pensamento por meio de suas características gerais. Interpetração da experiência.



Exemplo: Bola: conceito/definição: qualquer objeto de forma esférica; globo; objeto redondo inflado, etc.
(2)

Esse indivíduo definiu seu conceito de bola. Por ângulos e formas diferente, a definiu
O nível de consciência moral é barrado na mania de perfeição corporal ou o padrão estético do brasileiro. Busca-se o senso, a iniciativa de ser perfeito. Corporalmente falando, é a sociedade que visa um padrão. Esse padrão, defendido pela sociedade atual, é uma certa especulação da vida "social". Esse social, como padrão comportamental, é visto como bom ou ruim? Pensemos: Como seria um padrão, nele socializado, imposto, vexatório e taxado, o que isso seria? 
Aí passam do ser, ente primeiro, como ontologia pura, ao ser coletivo. Nele, o coletivo faz morrer o individual. Nele, todo coletivo se preza. O homem passa a prestar a partir do momento em que assimila a coletividade. 


Conceito é a ideia. Conceito é o conjunto delas; início das ideias. Desprezar os conceitos em nome de uma concepção generalizada de alguns fatos é desprezar os conceitos. 


Nota:


0 comentários :