sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Sete de Setembro

7 de setembro

Se o verde, ver-te
verde encanta e tranquiliza
Somos pobres almas,
somos podres na ferida

Somos barros, somos pedras
somos alma aguerrida
Somos pedra encantada
somos sonhos, somos vida

Somos independência enjaulada
Somos crase, berço esplêndido,
e ao som da luz do céu profundo
conquistados pelo mundo
Ultrapassados pelo limbo
Braço forte, o sorriso

Vermelho sangue não somos nós
somos mais, somos voz
nossos pais, nossos avós
já cantavam sobre nós
Verás que o filho teu não foge à luta
nem teme quem te adora a própria morte!

0 comentários :