segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Carta aberta: Resposta da Psicóloga Marisa Lobo ao deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ)

Embora não partilhe muito com suas ideias política (apenas no sentido antirrevolucionário), Vale o manifesto ao Deputado BBB:


Por: Marisa Lobo
Na última audiência do dia 27/11 - na Câmara Federal de Brasília, na comissão de seguridade social, onde estive presente como Psicóloga, juntamente com o meu colega psicólogo e pastor Silas Malafaia (discutindo o projeto do deputado João Campos apelidado maldosamente pela militância Gay  de “Cura Gay”), fomos citados pelo então pelo deputado que causou frisson na audiência dando seu “show particular”. Este cidadão que hoje é deputado, tratou-nos de forma intolerante e preconceituosa, chamando inclusive nosso povo presente de  “ESSA GENTE”, mostrando claramente em sua fala e em sua linguagem não verbal o quanto nos despreza.

Na ocasião, debaixo de caretas, falas alteradas e estrelismo, o deputado Jean Wyllys, na tentativa Queer de desconstrução, tentou ridicularizar minha imagem e do pastor Silas, valendo-se dos seus minutos de palavra (que deveria ser usado para discutir o assunto proposto, mas como já é de sua característica, usa para disseminar preconceito) de forma lamentável mostrou mais uma vez sua infantilidade parlamentar e intolerância  destilando seu veneno ardiloso pontuando de forma “sínica” e oportunista que meu currículo profissional e do Pr. Silas Malafaia não constam na plataforma Lattes, induzindo a sociedade ao erro de acreditar que estar nesta plataforma, que é apenas para ferramenta de divulgação de curriculum, seja prerrogativa para qualquer produção científica e ou capacitação profissional.

Esclareço que sim, para quem deseja, é interessante divulgar seu currículo nesta plataforma, mas jamais obrigatória. Ela é usada como o uma ferramenta válida  de divulgação,  porém temos muitos profissionais que não gostam de expor sua vida nesta ferramenta, como o  Pastor Silas que, cá entre nós o que menos precisa é expor sua qualificação, pois seu sucesso profissional e sua liderança mundial fala por si.

Segue minha resposta ao então deputado  ex BBB de 13016 votos ( sortudo)

Marisa Lobo escreve carta em resposta a argumentos do deputado federal Jean Willys   1.   O senhor mais uma vez provou sua ignorância e arrogância e demonstrou sua perseguição, pois falou cheio de razão que Meu currículo e do Psicólogo Silas Malafaia não está nesta ferramente de divulgação de currículo , como se fosse condição alguma para qualificar um profissional. Perseguição, nobre deputado? ou sua especialidade é induzir a população ao erro?
    2.   Com todo aos profissionais de Letras , somente a título de esclarecimentos, Eu, Marisa Lobo, não precisei ser professora de Letras  como o senhor para ser escritora. Tenho 3 livros publicados por grandes editoras (arte editorial, e editora fôlego) e mais 7 produções independentes, 4 em andamento , dvds, além de diversos artigos publicados em revistas e jornais de sites de expressão, não precisei fazer mestrado para ser escritora. Pago  redator, mas fiz habilitação para magistério superior pois constantemente sou convidada a dar palestras em cursos de prevenção às drogas um cuidado apenas profissional.
3.       Com todo respeito aos profissionais de Jornalismo, deputado também não precisei estudar Jornalismo (uma faculdade infelizmente ainda não reconhecida) para ser repórter, produtora e (ou) apresentadora de TV. Para seu conhecimento tive programa de TV por sete anos de turismo na rede Record (RIC TV no Paraná), na TV Cidadão, e fui repórter social de um programa na CNT além de ser colunista e articulista de jornais e sites. Enfim, mas o que gostaria que o senhor, ilustre deputado, sortudo de 13.016 votos prestasse atenção é neste esclarecimento abaixo.
4.       Ilustríssimo  deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) o fato de gostarmos de sexo, eu, de sexo “natural”, de acordo com minha  biologia, minha identidade sexual (hétero), e o senhor de gostar de sexo anal (homo),  de acordo com sua orientação sexual,  não nos dá respaldo científico para falarmos de sexualidade em uma audiência , já que gosto pessoal é subjetivo sendo assim incorremos no risco e não sermos imparciais apenas estarmos pautados em nossa militância e induzir ao erro.
5.       Porém o fato de ser esta psicóloga que vos fala, que o senhor tentou de forma covarde descaracterizar, ser  uma bacharel de psicologia, com título de psicóloga, especialista em saúde mental, com vários cursos de extensão em sexualidade do adolescente, infantil, psicologia da sexualidade, drogas , transtornos , com experiência inclusive internacional na área, como por exemplo, no Mount Sinai medical Center (em Nova York –U.S. A); no setor settlement health & medical services, onde conheci e  aprendi  acerca da prevenção e enfrentamento as DSTS e AIDS,  dá-me o respaldo sim senhor, para estar presente em qualquer audiência sobre o tema
6.       O que me respalda também, deputado, e Gostaria de esclarecer ao ilustre (BBB) que tenho outras experiências na área que talvez possam lhe interessar como, por exemplo, meu trabalho como coordenadora de um serviço pioneiro no Paraná de prevenção e informação SEI-Drogas/Destes/AIDS - na cidade de Araucária/PR - por cerca de dois anos, que, pelo pioneirismo e sucesso do meu trabalho fui convidada a ser palestrante no primeiro congresso de sexualidade humana do Estado do Paraná, além de ter sido pioneira (senhor deputado) em campanhas de prevenção a AIDS que envolviam show e artes bem como  visitas à casa de prostituição, com palestras e distribuição de camisinhas, inclusive no primeiro show que organizei e idealizei no Paraná homenageamos o cantor Cazuza que faleceu vítima do Vírus da AIDS, convidando sua mãe Lucinha Araújo para receber esta que foi uma das primeiras homenagens a seu filho vitimado pela AIDS.
7.       Como pode observar já estou na luta contra a discriminação a prevenção e enfrentamentos as drogas e AIDS,  não de forma militante e sim, profissional, há muitos anos, desde 1995, até nos dias de hoje, nunca me promovi com estas questões por tratar-se de sofrimento alheio.
8.       Mas o que mais interessa em toda minha experiência na área da sexualidade é exatamente minha experiência profissional de prática em consultório  e grupos terapêuticos por mais de mais de 15 anos de profissão, com pacientes das mais variadas co-morbidades, transtornos psíquicos, inclusive com sua orientação sexual (1996 a 2012).
Como pode observar e confirmar senhor Deputado (de 13016 votos) - com apenas parte pequena de minha experiência profissional afirmo ao senhor que sim, tenho capacitação, capacidade e competência e experiência para estar em qualquer audiência pública, discutindo sobre esse e qualquer assunto da minha área que é muito mais ampla.
Agora vamos ser francos com toda a “encheção” de linguiça de seu Curriculum Lattes: ainda não consegui entender, academicamente  falando, já que a questiona tanto, o que o senhor estava fazendo  na audiência publica sobre resolução do CFP, pois o seu respaldo científico na área é completamente NULO, ZERO.  Como profissional, não entendo o que uma  pessoa formada em letras (um curso louvável) tem a ver com psicologia mesmo? E ousa  criticar profissionais, sem base teórica e (ou) científica alguma na  área de psicologia? O senhor não acha no mínimo antiético? De péssimo tom? criticar o que não conhece prova como sua carreira política está pautada em uma série  de ataques falaciosos, visando claramente   difamar e não permitir contraditório. Me parece falta de tolerância a frustração, deputado? Ou é prazer mesmo de ofender quem não defende suas ideias . Preconceito ou intolerância? Parece-me arrogância e falta de educação.
O que mais me incomoda em tudo isso é ser desrespeitada por um deputado que levou a sorte de com apenas 13.016 mil  votos assumir uma cadeira de deputado  e estar em uma audiência usando de imunidade parlamentar para tentar desconstruir a credibilidade de  profissionais como tentou fazer conosco, como tem feito de forma irresponsável o senhor deveria ser processado, não tem limites, freio, censura, noção de ridículo para ser mais exata. E assumo minha  tolerância nestes caso é zero.
Um alerta faço ao senhor - digníssimo deputado, vossa excelência deveria ter vergonha de incitar ódio e promover guerra preconceito contra outras religiões,  como faz claramente com Cristãos - evangélicos e católicos. Fui procurar saber de onde vem este ódio,  que o senhor destila contra nós e entendi que o senhor é apenas um proselitista religioso,  que  defende sua religião, o candomblé( nada contra conheço pessoas boas e éticas que praticam candomblé , também) mas pergunto-me: como um deputado, que tem um discurso de "liberdade religiosa", pode promover uma vergonhosa perseguição religiosa? Cadê a liberdade religiosa e Direitos Humanos, deputado? liberdade de expressão?
Com todo respeito vou te ensinar algo que aprendi com a nossa presidente Dilma Rousseff. 

“Direitos Humanos não podem ser usados como bandeira ideológica das minorias contra as maiorias, direitos humanos digníssimo deputado é para todos”.
Outra lição que quero lhe ensinar é a gratidão, não podemos “cuspir no prato que comemos” coloque no seu currículo Lattes na parte artística pelo menos, sua passagem pelo BBB, pois foi lá que o senhor ficou conhecido e é o que se tornou (um nada**). Temos que ser agradecidos a quem nos estendeu a mão.
Quero dizer ao senhor deputado que vou seguir sua orientação e, assim que tiver tempo, colocarei sim meu currículo na plataforma Lattes. Entendi que é importante para me defender de pessoas como o senhor, que a usa com instrumento para tentar desconstruir um profissional como arma de defesa. Mas peço-te, com todo respeito, tenha um pouquinho de "semancol" e perceba que  o senhor é um zero à esquerda na área. Impossível que seu oportunismo tenha lhe cegado. Ciência do comportamento, deputado, é coisa séria e não cabe malabarismos.
Aproveite a chance que DEUS te deu de ser deputado com o milagre de seus poucos 13016 votos e faça o bem sem olhar a quem: pare de incitar ódio contra os cristãos. O senhor é deputado tem o dever de proteger a nação. Sua atitude só escandaliza e promove guerra. Seja adulto! Coloque-se no seu lugar de deputado do povo. Lute pela sua causa de forma digna! Pare de  perverter discursos e realidade a favor de seu ego. Ser oportuno, deputado, é bom , mas ser  oportunista é vergonhoso e, nesta audiência, fiquei assustada com o seu comportamento desequilibrado e sua maldade em perverter a realidade e perseguir e ridicularizar nossa gente. Lamentável
Deus te abençoe, e que a paz que segue todo entendimento possa entrar em seu coração e o faça perceber o quanto suas atitudes têm promovido alienação , indução ao erro , guerra e não paz.
Para o Ilustre deputado deixo uma palavra "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto." Is.55:6

**Acréscimo do Blog
Marisa Lobo psicóloga com a Graça de DEUS.

0 comentários :