segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Por que o dinheiro não para no seu bolso?



Quem não gosta de comprar carros, geladeira, fogão sem IPI?? Pois é, o Estado proporciona ao contribuinte um sufocamento monetário. 


Bom, não sou economista, muito menos venho aqui dar pitaco dos grandes e bons economistas que o Brasil tem, mas gostaria de avaliar alguns silogismos sobre a economia. O que é um silogismo? É um sistema de deduções criado por Aristóteles formado de três partes: 1ª premissa, 2ª premissa e conclusão, por exemplo:

Lula é político

Todos os políticos são ladrões
logo: Lula é ladrão (isso é um fato!) 

O Estado é dono principal de toda a economia, correto? Sim!
Logo, quando o Estado demanda essa economia, alguém está gerenciando o estado. Nosso dinheiro, através dos impostos, são gerenciados pelo estado. 
O brasileiro comum entende que o Estado é dono de seus bens, a exemplo do que se diz "não privatize" gerenciando a saúde, educação, moradia e transporte. Estas coisas dependem de muito dinheiro gasto. Quando o Estado gerencia estas coisas, precisam de muito dinheiro em impostos através do contribuinte (eu e você).

quantidade de impostos que pagamos pelos carros no Brasil
Diferenças entre os utilitários fora do Brasil
Primeiro fato: Se alguém gerencia essas coisas, a educação, moradia e saúde são do Estado, através de governantes, ministros e secretários. Se eles estão que gerenciam nosso dinheiro e realizam obras através dele. O problema é o seguinte:
Silogismo 1: O estado brasileiro é extremamente corrupto (como no caso dos mensalões e obras superfaturadas) e não consegue gerenciar as obras sem superfaturamento. O Estado é o gerente, através dos deputados, senadores, prefeitos e vereadores, assim como ministros. Sem esse superfaturamento a corrupção deixaria de existir. Sem a corrupção, o trabalhador pagaria menos impostos. Como acontece nos PACs, na saúde, educação, moradia, infra-estrutura, não há uma obra que saia do papel sem superfaturamento, sem atraso e burocracia. 

O Estado consegue gerenciar nossos impostos? 

quantidade de impostos que pagamos nos cheques, luz, água, transporte, saúde etc (todos mal gerenciados)

O que você paga em impostos para o SUS (40% do seu salário anual) poderia pagar em plano de saúde. Tendo ele ganhado R$ 7740,00 (salário anual para quem ganha R$ 645,00), seu rendimento ficaria comprometido anualmente em 3096 para o Estado. Ou seja, se você paga R$ 3046,00 ao Estado para saúde e educação, pagaria em média R$ 253,00 mensais ao Estado, ganhando o seu salário mínimo.  
Quem gerencia esse Estado? As pessoas que você vê toda hora na televisão e grita "é ladrão, corrupto". Mas ele só faz isso porque você dá acesso ao seu dinheiro, através dos impostos. Como um dos impostos mais altos do mundo, quando você ouve o discurso do "não ao capitalismo, a petrobrás é nossa" de certos setores e sindicatos, eles querem força-lo a crer que essas estatais são suas, mas você paga um alto imposto a elas. Consequentemente, vai pagar o mesmo imposto ao pagá-las de novo na bomba de gasolina (ou seja, você paga de novo o dinheiro dos impostos na bomba). 

E a saúde? 

Qualquer cidadão que vá a algum posto de saúde, ou espere uma consulta do SUS, fica horas na fila, chega a ficar doente e morrer esperando o atendimento (sim, quando dizem  sim ao aborto, as coisas vão ficar do mesmo jeito como estão).  Quando tem algum tipo de oportunidade, paga por planos caros de saúde, não é mesmo? Mas esses planos pagam impostos altíssimos e têm carga tributária (taxas de impostos) pesada para poder atender no setor privado. O governo, consequentemente, não alivia os impostos, centralizando toda a saúde no SUS para manter o gerenciamento, a corrupção, o dinheiro e a máquina de fazer dinheiro que é o setor de saúde. 



Silogismo 2: Se os impostos fossem mais baixos para os planos de saúde, sem essa tributação alta e com falta de organização e burocracia que se tem hoje? Correto! Você poderia pagar por um plano mais barato. 

Quem gerencia essa saúde? Os mesmos corruptos e  os partidos que detém parte do orçamento nacional para fazer com que essa verba chegue até você. Ela não chega porque é mal gerenciada, com grandes concentrações de verba e incompetência de quem administra (vide o caso do Haddad e ministros de Lula). 

Lembre-se de uma coisa: o setor de telefonia, quando estava para ser privatizado por FHTC (nome fictício para o filho do Lula - Fernando Henrique Cardoso), muitas pessoas reclamaram e achavam que o Brasil iria virar um caos e "prisão dos gringos". Muitas famílias hoje têm mais celular do que gente em casa. O setor hoje é um dos que mais emprega e gera tecnologia e concorrência para mais qualidade de serviço. Claro, há incompetência também. Mas também há uma alta taxação para o setor, que sofre com essa contribuição. Mas, mesmo assim, você hoje está lendo esse texto, através de uma conexão de banda larga, de wi-fi, recebendo sinal por rádio, ou fibra óptica, porque o setor foi aberto para livre concorrência de mercado. 


Se você faz parte dessa confusão de deixar o Estado paternalista, mal gerenciador, mal pagador, corrupto, preso á burocracia, pense melhor desta vez. É um texto simplório, principalmente falando em números e economia, mas algo para que você reflita sobre como é preso ao paternalismo brasileiro. 


Conservadorismo Brasil





0 comentários :