quinta-feira, 22 de agosto de 2013

O maravilhoso patrão cubano



 por: Percival Puggina
 
Isto eu testemunhei pessoalmente em Havana (e está relatado em "Cuba, a tragédia da utopia")

O MARAVILHOSO PATRÃO CUBANO (ESSE, DOS MÉDICOS QUE VÊM PARA CÁ)

Em 2001 fui visitar a embaixada brasileira em Havana. Ela se situa no excelente prédio da Lonja de Comércio (Bolsa de Valores), uma edificação do século XIX, recentemente restaurada. A embaixada ocupa o quarto andar com instalações bastante simples se comparadas ao luxo de outras representações brasileiras no exterior. Ali, conversei com o secretário. Eu queria checar com ele as observações que tinha feito sobre a realidade e a atualidade cubana.

Durante a entrevista, entrou na sala uma moça de cor negra que lhe dirigiu algumas palavras em espanhol e se retirou deixando expedientes sobre a mesa. Quando ficamos novamente sós, ele explicou que a moça era cubana, excelente funcionária, contratada pela embaixada junto a uma das duas agências oficiais através das quais o governo loca mão-de-obra para organizações estrangeiras que funcionam no país. A embaixada fornecera uma descrição do perfil da pessoa que necessitava, agência estabelecera o valor da remuneração em 200 dólares mensais, enviara algumas moças para serem entrevistadas e aquela havia sido escolhida.

Dos 200 dólares que com que a embaixada remunerava à agência a moça recebia o equivalente, em pesos, a 20 dólares. O restante ficava para seu generoso patrão, o estado cubano. Diante dessa dura realidade a representação brasileira, incluíra a funcionária em sua folha de pagamentos e lhe repassava, por fora, 500 dólares mensais. É o que a maior parte das representações estrangeiras e empresas de fora fazem como forma de motivar seu pessoal.
 
publicado originalmente no facebook

0 comentários :