segunda-feira, 18 de julho de 2016

Bruce Dickinson votou pela saída do Reino Unido da União Europeia

Até um dos maiores e mais influentes astros do Rock mundial, Bruce Dickinson, votou pela saída do Reino Unido da União Europeia. 

Em entrevista a um site Galês, Dickinson afirma que a posição da UE se tornou “insustentável e que se houver futuro fora da União Europeia, poderemos nos tornar uma Hong Kong da Europa” – afirma o astro. Aliás, o cantor foi na contramão de um manifesto de artistas britânicos, como Franz Ferdinand e Hot Chip, que queriam a permanência. Segundo o site NME, o manifesto dizia que os artistas seriam enfraquecidos, pois a indústria criativa já global e não pertencia mais apenas à ilha –  pois o Reino Unido não era mais forte só na Europa, mas os britânicos agora eram globalizados. 
O referendo derrubou também o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e agora tem novos rumos para a ilha. “Os britânicos votaram pela saída e sua vontade deve ser respeitada“, afirmou o premiê, que deixará o cargo em outubro. Ele ponderou que o país precisa de uma nova liderança para levar a decisão adiante. Aliás, um adendo, ele já deveria ter saído. Cameron representa a fraqueza dos conservadores britânicos. Ainda declarou “A negociação deve começar com um novo primeiro-ministro“.  As tantas gafes e submissões à UE, fizeram dele uma chacota submissa à Merkel e seus súditos.
Os britânicos decidiram em uma votação histórica, que deve mudar o rumo da geopolítica mundial pelas próximas décadas, deixar a União Europeia (UE). A opção de “sair” venceu a de permanecer no bloco europeu por mais de 1,2 milhão de votos de diferença, em resultado divulgado por volta das 3h desta sexta-feira (24).
O resultado da apuração foi divulgada por áreas de votação e a disputa, bastante acirrada. O “sair” começou à frente e chegou a ser ultrapassado pelo desejo de continuar na UE, mas logo retomou a liderança e foi abrindo vantagem até vencer com quase 51,9% dos votos. Foram 17.410.742 votos a favor da saída e 16.141.242 votos pela permanência.

0 comentários :