segunda-feira, 25 de julho de 2016

Muita falação, pouca arte

Você já se cansou desse papo “Exatas > Humanas” em páginas e grupos de direita? A mim dói no saco quando vejo tamanha babaquice. E olha que o professor Olavo de Carvalho vem dizendo há tempos que devemos tomar os meios culturais, mas essas pessoas idiotas preferem ficar perdendo tempo falando asneiras.
Tomemos os meios culturais! Entretanto, como ocupar os meios culturais deste país se a direita – conservadores e liberais – ficam repetindo esse discurso positivista de que a arte e as Ciências Humanas são coisas inúteis? Por causa disso, não vemos produções artísticas e culturais relevantes, amostras de arte, encontro de artistas etc. De vez em quando sai um livro aqui e outro ali, mas nenhum grande evento, filmes ou festivais promovidos pelos liberais e conservadores. Fala-se em tomar os meios culturais, porém nem nesses meios eles se encontram. Ficam pelos Hangouts, lambendo-se uns aos outros, reclamando e falando mal de quem está tentando fazer algo.
E os empresários de direita então? Estes estão escondidos, com medo de investir em obras artísticas que não fazem parte do antro esquerdista. Medo de não haver retorno, alegam, porém nada se faz sem investimento financeiro. Nos EUA, a direita investe pesado em rádios, publicações e filmes. É preciso ajudar mesmo que não haja muita esperança de retorno, se querem realmente fazer a diferença. Talvez até se surpreendam com um grande retorno – por que não? –, já que, segundo pesquisas, somos um povo essencialmente conservador.
As consequências são bem visíveis: nosso povo tem um imaginário deveras pobre, com capacidade de perceber a realidade e de expressar o que percebe muito reduzida. O brasileiro tem, com isso, muita facilidade de ser iludido e dominado por ideias utópicas. Além disso, a relativização moral propagada pelas obras de ficção na literatura TV e cinema nacional contribui mais ainda para que nosso povo se torne cada vez mais selvagem, tribal, dividido.  
Por isso escrevo aqui, neste site e crio minhas humildes tirinhas, com o objetivo de somar nessa guerra cultural, mesmo que pareça insignificante. Todavia precisamos nos mexer mais. E é urgente, ou querem continuar lendo notícias de “espetáculos” sobre descoberta de cu alheio e “pinturas” feitas com sangue de menstruação. Artistas, criem, Empresários, financiem – pelo amor de Deus. O retorno virá, cedo ou tarde, virá, podem ter certeza. Tomemos os meios culturais!

0 comentários :