quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Os PTralhas tentaram emplacar a narrativa da “denúncia sem provas”


Denúncias sem provas? Nem eles acreditam nisso!



Os petistas e, principalmente, sua militância nas redes sociais, estão tentando fazer de conta que não há qualquer prova na denúncia apresentada pela força-tarefa da Operação Lava Jato, mas eles não tem muito o que fazer, pois é difícil defender o indefensável.

Sabemos que há pra mais de TREZENTAS PROVAS, entre depoimentos, recibos, notas fiscais, fotografias, extratos bancários etc. Além daquelas outras que serão produzidas na instrução processual.

Na representação ao juiz Sérgio Moro, o MPF listou as provas contra Lula, que estão distribuídas nos seguintes itens:

– Documentos apreendidos indicam uma relação próxima de LULA com empreiteiros envolvidos no esquema de corrupção na PETROBRAS: apontam que estes se encontravam e viajavam com relativa frequência com o ex-Presidente; tinham “pautas” de assuntos com LULA; e organizaram, a pedido deste, reunião de que participaram, dentre outras, pessoas diretamente ligadas à lavagem de capitais oriundos do desvio de verbas da Estatal;

– há contemporaneidade entre o período do mandato presidencial de LULA e a existência do esquema criminoso na PETROBRAS, sendo indiscutível a possibilidade de influência do Chefe do Poder Executivo Federal nas indicações de Diretores da sociedade de economia mista, de quem é controladora a UNIÃO;

– entre 2011 e 2014, os maiores doadores de recursos para o INSTITUTO LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA são exatamente os mesmos maiores contratantes de palestras junto à L.I.L.S. PALESTRAS, EVENTOS E PUBLICAÇÕES LTDA., quais sejam: CAMARGO CORREA, ODEBRECHT, QUEIROZ GALVÃO, OAS e ANDRADE GUTIERREZ, todas envolvidas nas investigações levadas a cabo na Operação Lava Jato;

– entre 2011 e 2014, o INSTITUTO LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA recebeu R$ 34.940.522,15. Desse montante, R$ 20.740.000,00, ou seja, cerca de 60%, foram oriundos das construtoras CAMARGO CORREA, ODEBRECHT, QUEIROZ GALVÃO, OAS e ANDRADE GUTIERREZ, todas envolvidas nas investigações levadas a cabo na Operação Lava Jato;

– entre 2011 e 2014, a L.I.L.S. PALESTRAS, EVENTOS E PUBLICAÇÕES LTDA. recebeu R$ 21.080.216,67. Desse montante, R$ 9.920.898,56, ou seja, cerca de 47%, foram oriundos das construtoras CAMARGO CORREA, ODEBRECHT, QUEIROZ GALVÃO, OAS, UTC e ANDRADE GUTIERREZ, todas envolvidas nas investigações levadas a cabo na Operação Lava Jato;

– assim, entre 2011 e 2014, juntos, o INSTITUTO LUIZ INACIO LULA DA SILVA e a L.I.L.S. PALESTRAS, EVENTOS E PUBLICAÇÕES LTDA. receberam mais de R$ 55.000.000,00, sendo mais de R$ 30.000.000,00 de empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato;

– entre 2011 e 2014, a L.I.L.S. PALESTRAS, EVENTOS E PUBLICAÇÕES LTDA. distribuiu ao sócio LULA, a título de lucro, R$ 7.589.936,14, ou seja, 36% do total auferido pela entidade no período (destacando-se que a maior retirada, de R$ 5.670.270,72 aconteceu em 2014, ano da deflagração da fase ostensiva da Operação Lava Jato);

– entre 2011 e 2014, sociedades empresariais ligadas a pessoas próximas do ex-Presidente da República, e a pessoas que ocuparam cargos/funções de destaque no Poder Executivo federal na época em que LULA governava o país foram destinatárias de recursos recebidos pelo INSTITUTO LUIZ INACIO LULA DA SILVA.

– Destaque-se que a entidade que mais recebeu recursos foi a G4 ENTRETENIMENTO E TECNOLOGIA DIGITAL LTDA. (R$ 1.349.446,54 entre 2012 e 2014), empresa de que são sócios FABIO LUIS LULA DA SILVA, filho de LULA., FERNANDO BITTAR e KALIL BITTAR.

– Outra empresa que recebeu recursos foi a FLEXBR TECNOLOGIA LTDA., que tem o mesmo endereço da G4, e cujos sócios são MARCOS CLAUDIO LULA DA SILVA, filho de LULA, SANDRO LUIS LULA DA SILVA, filho de LULA, e MARLENE ARAUJO LULA DA SILVA, nora de LULA. A FLEXBR também recebeu R$ 72.621,20 da L.I.L.S. PALESTRAS, EVENTOS E PUBLICAÇÕES LTDA. entre 2013 e 2014;

– LUIS CLAUDIO LULA DA SILVA, filho de LULA, recebeu entre 2011 e 2013, R$ 227.138,85 da L.I.L.S. PALESTRAS, EVENTOS E PUBLICAÇÕES LTDA.;

– JOSÉ DE FILIPPI JUNIOR, tesoureiro do projeto de reeleição do ex-presidente LULA, em 2006, e presidente do INSTITUTO LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA entre 07/01/2011 e 24/10/2011, foi responsável por receber R$ 2,4 milhões desviados da PETROBRAS no intuito de favorecer o comitê financeiro da campanha de LULA do ano de 2006.

– Além disso, JOSÉ DE FILIPPI JUNIOR recebeu, entre 2010 e 2014, propina destinada pela UTC ao PARTIDO DOS TRABALHADORES em decorrência dos contratos por ela celebrados com a PETROBRAS, especificamente o contrato firmado no COMPERJ. Parte dessa propina ele recebeu em 29/09/2011, ou seja, enquanto era presidente do instituto;

– o reduzido quadro de empregados do INSTITUTO LUIZ INACIO LULA DA SILVA e da L.I.L.S. PALESTRAS, EVENTOS E PUBLICAÇÕES LTDA. indica a vinculação dos recursos transferidos pelas empreiteiras com a pessoa que melhor personifica as entidades: LULA;

– a despeito de ostensivamente a OAS figurar como proprietária do apartamento 164-A do CONDOMÍNIO SOLARIS, há indícios de que os reais beneficiários da propriedade e da reforma do bem seriam LULA e sua família;

– a despeito de ostensivamente JONAS LEITE SUASSUNA FILHO e FERNANDO BITTAR figurarem como proprietários de sítio em Atibaia, há elementos que denotam a possibilidade de ocultação patrimonial.

Diante disso, vemos que o PT, sob o comando do ex-Presidente Lula, vem sendo um contínuo caso de Polícia, durante anos. E somos obrigados a ouvir esse cachaceiro dizendo que é vítima? Vítimas somos nós, o povo, que esse cidadão e sua quadrilha de marginais assaltou. 

O que esses pilantras chamam de "democracia", qualquer manual ou especialista da Ciência Política chama de TOTALITARISMO e só os robozinhos da sociedade, que foram doutrinados durante anos é que acreditam nesse discurso batido.

0 comentários :