segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Aluno morre em escola invadida no Paraná



Um adolescente de 16 anos morreu, na tarde desta segunda-feira (24), dentro da Escola Estadual Santa Felicidade, em Curitiba. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ele foi vítima de um “objeto cortante”.

A escola está ocupada por adolescentes (alunos) incitadas por sindicatos e professores de esquerda, que "protestam" contra a proposta de reforma do ensino médio, apresentada pelo presidente Michel Temer (PMDB).

Em entrevista à BandNewsCuritiba, a advogada Tânia Mandarino, do Movimento "Ocupa Paraná" (tem movimento e até advogado?) se fez de vítima e disse que que foi impedida de entrar, enquanto os adolescentes prestavam depoimento sem a presença dos advogados: “A situação está delicada, para nós, advogados, está se configurando violação de prerrogativas. Chegamos aqui e não estão nos deixando entrar. Estão ouvindo vários adolescentes lá dentro e não deixam os advogados entrar,” disse a sujeita.


Novas notícias:

"Não quero falar do horror que eu vi lá dentro. Tive que limpar sangue de aluno, entende?" O desabafo é de uma professora de ensino médio do colégio estadual Safel, em Santa Felicidade, bairro tradicional na zona noroeste de Curitiba. A docente, que saiu visivelmente abalada da escola e amparada pelos colegas, já perto das 20h de segunda-feira (24), foi uma das últimas a deixar o prédio depois que a polícia fez a perícia que ajudará a elucidar as circunstâncias da morte do estudante Lucas Eduardo de Araújo Lopes, de 16 anos.

Estudante do 2º ano matutino do ensino médio no colégio, Lucas foi assassinado com uma faca doméstica supostamente após uma briga iniciada do lado de fora com um aluno de 17 anos do 9º ano do fundamental 2. Ele ajudava outros estudantes na ocupação da escola desde o último dia 14.



Ainda não há detalhes sobre a morte do garoto nem se ele estuda na instituição. 



Há 22 dias escolas do Paraná foram invadidas por alunos que dizem protestar contra a reforma do ensino médio e a PEC 241 (teto dos gastos públicos), proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB). Hoje são 850 escolas, 14 universidades e quatro núcleos de educação ocupadas por alunos, de acordo com o movimento Ocupa Paraná.

O Estado tem 78 mil professores e 31 mil funcionários da Educação, com 1 milhão de estudantes distribuídos em 2,1 mil escolas.

0 comentários :