sábado, 19 de novembro de 2016

Turquia votará para que estuprador pedófilo seja perdoado, desde que se case com a vítima

Um novo projeto de lei, proposto pelo parlamento turco, permitirá que aqueles que estupraram menores de idade sejam perdoados pelo crime, desde que se casem com a vítima após o ato.


O partido do presidente R. T. Erdogan, o AKP (Partido da Justiça e Desenvolvimento), provocou protestos depois que eles propuseram o projeto de lei que daria perdão aos cerca de 3.000 estupradores de crianças na Turquia. De acordo com o AKP, o projeto de lei visa perdoar homens que tiveram relações sexuais com menores e que estejam em um relacionamento com uma, ou lidar com as complicações do casamento com crianças no país, de acordo com relatório do Telegraph

O novo projeto de lei seria uma inversão de uma lei que foi aprovada há mais de uma década, em 2005, que criminalizava a violação de crianças, independentemente de a vítima e o estuprador serem ou não casados. A nova lei também estipula que caso o casamento não funcione e as duas partes concordam em um divórcio, então o estuprador seria preso outra vez, pelo crime, e continuar com qualquer sentença adiada.

O ministro da Justiça,  Bekir Bozdag, defendeu o projeto de lei dizendo que ajudaria nos casos em que a menina ficou grávida, mantendo o homem em sua vida e capaz de fornecer assistência econômica a ela e seu filho. "Aqueles que dizem que 'os estupradores se beneficiarão disso' estão distorcendo a situação", acrescentou.

O projeto de lei foi apresentado para uma votação na noite de quinta-feira, ele não reuniu o número necessário de votos para passar a ser lei, mas voltará a ser votado na terça-feira.

O partido de oposição de Ozgur Ozel, disse: "O abuso sexual é um crime e não há consentimento nisso. Isso é o que o AKP (partido de Edorgan) não consegue entender ", acrescentou o membro do Partido Popular Republicano," Buscar o consentimento de uma criança é algo que a lei universal não prevê ".

O deputado Omer Suha Aldan, do CHP, disse: "Se é dito para um homem de 50 ou 60 anos de idade se casar com uma menina de 11 anos, depois de estuprá-la, e depois casa com ela anos mais tarde, ela sofrerá as consequências", observando que, "se você lhe der um passe pelo casamento, a menina viverá na prisão sua vida inteira."

No início deste ano, a Suprema Corte turca provocou controvérsias sobre o consentimento das relações sexuais com menores de idade, após anularem uma lei sobre idade de consentimento para, efetivamente, legalizar o sexo com crianças após 12 anos. A comunidade internacional ficou indignada com a decisão, que levou a um embate diplomático entre Turquia e os governos da Suécia e da Áustria.

Críticos do presidente Erdogan afirmaram que seu governo está destruindo progressivamente o legado secular de Kemal Ataturk, tornando a sociedade turca muito mais islâmica. O porta-voz do partido AKP sugeriu, no começo do ano, que a constituição turca deva ser mesmo mais distintamente islâmica. 

O líder da oposição curda, Selahattin Demirtas, até acusou Erdogan de tentar reviver o antigo califado islâmico. Demirtas foi preso, no início deste mês, pelo governo de Edorgan, que alega que ele e outros líderes curdos apoiam terroristas.

post do site: http://www.breitbart.com/ 
tradução: Leandro Souza

0 comentários :