segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Estatiza o busão! (só que não)


“4,50 não, estatiza o busão!” foi a frase que vi em um ponto de ônibus no campus da Unicamp em protesto ao aumento do preço das passagens do transporte público na cidade Campinas. Essa molecada universitária é de uma burrice estratosférica  não só eles, mas a maioria do povo brasileiro pensa assim, infelizmente.

Eu não sou a favor do aumento do valor das passagens, muito pelo contrário, contudo estatizar não é o caminho correto para resolver este problema. Isto se resolve com mais livre mercado. Com mais empresas oferecendo serviço de transporte, concorrendo entre si, os preços certamente cairão e a qualidade se elevará. Veja só como o Uber chegou forçando os taxistas a melhorarem seu atendimento e preços, assim como acontece com a Netflix e a TV, o WhatsApp e as operadoras de telefonia, etc. O Capitalismo oferece uma elevação na qualidade de vida.

Lembro-me bem de uma época na qual havia, além dos ônibus interurbanos, vans de outra empresa concorrente oferecendo o serviço de transporte coletivo aqui na região de Campinas e a situação já era muito melhor – mesmo sendo apenas uma empresa a mais no ramo. Havia diferença de preços, as vans eram mais rápidas, porém com menos conforto. Todavia, o governo decidiu impedir as vans de operarem, não sei por qual motivo realmente, complicando a vida de muita gente. 

O brasileiro tem mentalidade fascista, como diria um amigo meu. Deseja que o estado controle tudo: só presta se for estatal; só é trabalhador se tiver trabalho assinado na carteira de trabalho do Estado; só é bem sucedido se for funcionário público. De fato, nada mudará na política se não mudar na cultura e na mentalidade desse povo que parece que gosta de sofrer.  

0 comentários :